5 contradições sobre o rompimento da barragem Fundão

Muitas pessoas estão postando que há um laudo do Ministério Público de 2013 que questiona estabilidade da Barragem do Fundão. Impressionante como as pessoas nem sequer tem a preocupação de checar a veracidade daquilo que publicam.

O laudo, em nenhum momento, trata da barragem! Ele trata da Pilha de Estéril do Fundão e quais seriam as consequências da elevação do nível de água no pé da pilha, como resultado do alteamento da barragem.

E há vários veículos publicando, além dessas, as seguintes baboseiras:

1) A Barragem de Santarém rompeu

A barragem não rompeu. Ela está coberta de lama, mas não rompeu;

2) A lama é tóxica.

Não é. A lama é composta de ferro, sílica, amido gelatinizado com NaOH, amina e, para corrigir o pH, soda (o que não implica dizer que ela não vai detonar a fauna e a flora a jusante, isso é fato);

3) Não há fiscalização sobre as barragens.

Podemos até discutir se a atual fiscalização é eficiente, mas que ela existe, existe. E nesse caso específico, é anual;

4) Não há laudos atestando a estabilidade da barragem.

Quem conhece a legislação sabe que essa barragem tem de ter um laudo assinado por um engenheiro (com ART), sobre a estabilidade anualmente;

5) Todas as emissoras estão mostrando a barragem errada em suas imagens. Mostram Santarém como sendo Fundão.

Por fim, uma opinião: Já imaginou se por conta dos diversos acidentes com avião proibíssemos a aviação? Não temos de impedir barragens, desde que justificáveis do ponto de vista legal, ambiental, ético e de interesse do estado. Temos de aprender com os erros e melhorar nossos projetos. Isso é engenharia e é assim que se avança.

Por Eduardo Marques – Geólogo Phd



DEIXE AQUI SEU COMENTÁRIO